Expansões de WOW – Opiniões à lá Cartel – EP 01

Expansões dividem opiniões e, por vezes, geram briga. O grupo de goblins mais ordinário de Kezan se reuniu no Boteco da Desgraça para tomar aquela gelada e falar sobre suas opiniões sobre as expansões do WOW

Sexta a tarde, aquele sol maravilhoso rachando em cima das telhas, forro pronto para assar um pão e o ar do ambiente denso dentro dos escritórios da BarraCorp. Relógio “estrala” às 18h indicando a hora de fechar o expediente. A massa verde se empurra para sair dos cubículos em direção à porta de saída. O grande Graxx, que estava no banheiro fazendo a remunerada, também já está pronto para empurrar todos e apenas o nosso amigo Xablau ficará de plantão no fim de semana.

 

O grande momento da semana chegou! É a hora de reclamar da diretoria, tomar meia duzia de Jakkis geladas e comer milho. Entre falar da economia de Kezan, reclamar da mudança de líder dos Goblins e se perguntar porque enterro de gnomo usa caixão inteiro, Xalasca, Kfour, Fier e Purah puxaram aquele assunto indigesto que é pior que falar de religião ou futebol: qual foi a melhor e pior expansão de WOW? 

 

Entre um [descubra] e outro, Graxx, que acompanhou a galera, anotou e compilou a opinião desses safados para tentar conseguir algum retorno financeiro.

 

Xalasca

xalasca retrato portrait wow warcraft expansão expansao expansoes expansion vanilla the burning crusade tbc wotlk wrath of the lich king cata cataclysm mop mists of pandaria pandaren warlords of draenor wod legion legiao battle for azeroth shadowlands horde horda alliance ally aliança

Estou bem desapontado com o caminho que o WoW seguiu. Sou um defensor da empresa, de tentar entender os motivos que a leva a tomar certas decisões. Mas isso está ficando cada vez mais difícil. Busco entender para qual público o jogo está mirando e não consigo encontrar, mas certamente neste público eu não estou incluso. Não sou nenhuma “viúva” do Lich King e até gosto muito de expansões pouco valorizadas! Porém existe uma qualidade mínima que esperamos, o mínimo de coerência com a história. E isso não está tendo.

 

Eu não sou muito adepto da máxima do Érico Borgo do Omelete, “sou fã, quero service”, só que isso tem limites. Com o objetivo de fazer coisas inesperadas, o game segue por um rumo maluco, que não  é coerente com a própria história. A ficção difere da realidade pelo simples fato é de que a ficção precisa ter coerência. E neste ponto chego que vou bater na pior expansão até hoje: Battle for Azeroth.

 

“Com o objetivo de fazer coisas inesperadas, o game segue por um rumo maluco, que não  é coerente com a própria história.”

 

Se por um lado o jogo melhorou várias mecânicas presentes em Legion, por outro, o fator RPG foi jogado em Gnomeregan (existe lugar pior que este?). E eu estou aqui pelo MMORPG.  Se pensarmos em narrativa, o game foi bem contado no começo e desandando do 8.2 em diante. Só que uma história bem contata não adianta se o plot for ruim. E ele foi muito ruim. Toda a trama da Sylvanas foi horrorosa culminando nos super poderes dela para derrotar o Bolvar. Poderia ficar horas reclamando dos motivos que me levam a dizer que Battle for Azeroth foi a pior expansão de todas, mas o grande ponto é que ela conseguiu fazer um hype enorme se transformar numa decepção inacreditável.

Mas aí vamos falar de coisa boa, porque se o jogo está aí há 15 anos se mantendo e tendo lucro, é porque tem muita coisa boa nessa história. Eu joguei muito WoW, Do final do WotLK até agora, todas as expansões. Entre Pandaria e começo de Legion, fui resistência, raidei pela Aliança no servidor Gallywix e fizemos história lá. Me diverti muito em Pandaria, apesar de ser uma expansão fraca em lore, também me divertir no Cataclysm ou mesmo em Legion. Claro, parece óbvio que WotLK é a minha expansão favorita. Só que não é.

A minha expansão favorita não é outra senão Warlords of Draenor. Sim, eu estou escrevendo isso de maneira sóbria e livre de qualquer influência externa. WoD tem seus problemas, eu sei, muitos deles culpa do desenvolvimento de Overwatch – um dia conto essa história – mas o fato é que apesar desses problemas, é muito bom.

 

A minha expansão favorita não é outra senão Warlords of Draenor. Sim, eu estou escrevendo isso de maneira sóbria e livre de qualquer influência externa.

 

Apesar do pouco conteúdo lançado, o conteúdo é muito bom! Vou lembrar o cenário introdutório da Expansão. Todos eventos apresentando os Warlords, a destruição do Portal Negro, o caminho com Hadgar e o derradeiro final levando para as Guarnições é sensacional. O leveling dos mapas contém histórias bem bacanas, com o acréscimo dos poderes das Guarnições, os tesouros dos mapas, as dungeons bem bacanas. Por fim, as três raids com boas mecânicas, cenários e conjuntos. Claro que teve problemas. Legion conseguiu estragar Warlords desde que começou a ser introduzida com Gul’dan, bem como, metade do time sair para ajudar a concluir OW. Isso impactou muito o desenvolvimento, mas não tirou o brilho da expansão.

Voltando aos pontos que mais me agravam nessa expansão, com certeza tem dois elementos que eu simplesmente adorei nela: O Cenário de PVP do Gladiador, onde 15 pessoas se enfrentavam pelo título e a raide Fundição Rocha Negra. Teve outras coisas claro. As guarnições, o retorno dos chefes mundiais, os eventos no mapa (que deram origem as missões mundiais), Yrel, o sacrifício de Maraad, O Velen alternativo se sacrificando também, Orgrim, Thrall e seus pais, a trajetória para o voar, a construção dos navios e a mesa de missões, as invasões da Guarnição, a mudança nas classes. WoD foi excelente, só foi mal vista porque a Blizzard sacrificou uma expansão para a benefe de outra.

 

WoD foi excelente, só foi mal vista porque a Blizzard sacrificou uma expansão para a benefe de outra.

 

Agora, desce mais uma Jaka’cola por favor.

 

Kfour

kfour retrato portrait wow warcraft expansão expansao expansoes expansion vanilla the burning crusade tbc wotlk wrath of the lich king cata cataclysm mop mists of pandaria pandaren warlords of draenor wod legion legiao battle for azeroth shadowlands horde horda alliance ally aliançaBem galera, tema espinhoso é comigo mesmo!

Quando eu comecei a jogar WOW, lá pelo ano de 2008/2009, eu nem sabia o que estava fazendo. Nunca tinha jogado nenhum MMORPG, então vocês devem ter ideia do “choque” que eu tive ao me deparar com um mundo tão vasto e com mecânicas tão complexas. Para vocês terem uma ideia, eu jogava de Paladino Sagrado e usava Tecido, porque tinha mais Intelecto! Tragédia, não é mesmo?

Com o passar do tempo fui me aprofundando, lendo mais sobre o game (mecânicas – o interesse pela lore só surgiu em 2013). Amigos e guildies me ajudaram bastante também. Na época eu também estava na faculdade e, como bom aluno de humanas, eu passava mais tempo jogando do que estudando (crianças, não sigam este meu exemplo)! Tendo isso em conta, eu jogava em média de 6 a 8 horas de WOW por dia. Nas férias eu passava mais de 16h por dia jogando WOW – e isso persistia por 3 meses.

Isto tudo para chegar ao ponto que, em termos de expansão favorita, eu tenho que escolher Wrath of the Lich King. A lore era bem bacana (afinal, o Lich Rei é dos vilões mais icônicos de toda a história do videogame – até quem não conhece WOW, conhece o Lich Rei). As mecânicas eram bem legais (eterno saudosista da Árvore de Talentos antiga). O mapa de Nortúndria era eclético (tinha regiões gélidas como Picos Tempestuosos e Coroa de Gelo, florestas como Serra Gris e Bacia Sholazar, áreas desoladas como Gun’drak e Ermos das Serpes). Sem falar na trilha sonora, né?
Mas o que mais me faz escolher WotLK como expansão favorita é a nostalgia e a diversão que eu sentia jogando WOW naquela época – algo que, infelizmente, não sinto hoje em dia (por diversos fatores). 

 

Mas o que mais me faz escolher WotLK como expansão favorita é a nostalgia e a diversão que eu sentia jogando WOW naquela época – algo que, infelizmente, não sinto hoje em dia (por diversos fatores). 

 

Agora a expansão que eu menos gostei… Essa resposta estaria na ponta da língua há 1 ano e meio atrás. Porém, nos dias de hoje, existe um certo empate técnico. Warlords of Draenor e Battle for Azeroth brigam pelo título de Pior Expansão na opinião do Kfour aqui. Passo a explicar:

Warlords of Draenor porque teve muito corte de conteúdo e isso prejudicou bastante a expansão. Além disso, uma viagem “temporal” a uma “realidade paralela” não é algo decente de se fazer. É uma desculpa porca e que acarreta “problemas” para expansões futuras. WoD acho que é uma perfeita amostra do que a preguiça pode fazer a um profissional. Até mesmo a Guarnição (que eu achei que ia ser muito louco) foi trágico. Não pela funcionalidade dela, mas sim pelo isolamento que ela causou. Quase ninguém saía de dentro de suas guarnições, pois ela tinha tudo o que precisava lá dentro. Resultado disso? Cidades vazias e aquela sensação de Multiplayer começou a se esvair nessa expansão.

Eu pensei que ia gostar para caramba da expansão, visto que iríamos ver a Horda “original”, porém, como era algo “paralelo”, ficou uma verdadeira m… tragédia. Até mesmo as raides (que muitos dizem que é a melhor parte de Warlords) não caíram nas minhas graças.

 

Além disso, uma viagem “temporal” a uma “realidade paralela” não é algo decente de se fazer. É uma desculpa porca e que acarreta “problemas” para expansões futuras.

 

Já Battle for Azeroth está sendo uma decepção maior que próprio WoD. Eu tive muitas críticas a Legion (principalmente no tocante à lore) e pensei que não poderia piorar depois de Argus. Me enganei redondamente! As Campanhas de Guerra poderiam ter sido bem melhores (cara, a Horda perdeu uma chance de sair por cima porque o Gallywix não quis abastecer a nave… o quão preguiçoso tem que ser um dev para fazer uma quest/lore assim?). Na BlizzCon foi dito que a Horda perdeu (canonicamente) todas as batalhas no Fronte de Guerra (porque os caras de lore foram incapazes de colocar os Frontes de Guerra em um local “neutro”). O RNG e o Farm são totalmente absurdos, sem lógica nenhuma.

Isso poderia ter melhorado no 8.3, com Visões Horrendas e invasões de Uldum e Vale das Flores Eternas… Mas mesmo assim tu continua ganhando uma caixa de equipamentos que só para ser utilizada pelo seu alt. Entre tantas outras cagadas que a Blizzard tem feito em BfA. 

 

Já Battle for Azeroth está sendo uma decepção maior que próprio WoD.

 

Portanto, e para finalizar, o título de expansão que menos gosto é um empate entre WoD e BfA. Vamos ver se até ao lançamento de Shadowlands Battle for Azeroth dá uma melhoradinha ou irá ultrapassar WoD como a coisa mais besta que a Blizzard já fez.

PS: Menção honrosa para The Burning Crusade que, na minha opinião, tem a melhor lore de todas as expansões do WOW! 

 

Fier

fier retrato portrait wow warcraft expansão expansao expansoes expansion vanilla the burning crusade tbc wotlk wrath of the lich king cata cataclysm mop mists of pandaria pandaren warlords of draenor wod legion legiao battle for azeroth shadowlands horde horda alliance ally aliançaQuando me pediram para fazer este texto sobre a minha expansão favorita e a que eu menos gostei pensei que seria relativamente simples. É fácil falar do que você mais gosta, e mais fácil ainda sobre o que você não gosta. Pois bem, não foi!

Falar de World of Warcraft é complicado. Este jogo me acompanha desde 2007, foi meu primeiro contato com um jogo “grande” de computador. Até então só tinha brincado em jogos bestas e simples. WoW me introduziu em um universo que eu nem imaginava que existia. A partir dele tive contato com inúmeros outros jogos de diferentes estilos, mas sempre acabava voltando para o WoW, nunca consegui ficar longe. Acho que todos nós partilhamos desse sentimento.

Eu comecei no WoW em um private BlizzLike de WotLK, tinha lá meus 14 anos. Como eu iria pedir para o meu pai pagar a mensalidade em dólar (sim o WoW não estava no Brasil ainda) para um joguinho de computador? Sem chances! Joguei casualmente, não entendia muito bem o jogo, mas me divertia. Nesse private eu fiz amigos que estão na minha vida até hoje. Mas falar da expansão em si? Não sei dizer, jogava pelos amigos, não ligava muito para o que estava fazendo no jogo. Então a tão famosa e querida expansão do Lich Rei não foi tão marcante assim. Não para mim.

 

Então a tão famosa e querida expansão do Lich Rei não foi tão marcante assim. Não para mim.


Logo após veio Cataclysm, e gente: que cinemática não é? O jogo parecia incrível! Além disso, jogo estava vindo para o Brasil. Poderíamos pagar em reais – e super baratinho ainda. Então, finalmente fui para os servidores da Blizzard! Criei minha primeira personagem na Horda do Nemesis – uma Elfa Sangrenta Maguinha que eu amava. Mas continuei jogando o game puramente por diversão, não me importando com o que acontecia, com raids, conteúdo “relevante”. E isso continuou do mesmo jeito em Pandaria. 

Até que chegou o tão abominável Warlords of Draenor, que novamente deixou todos nós hypados com as cinemáticas. Muitos de nós sabemos a sensação de entrar em Draenor e em meio a Selva de Tanaan ver todos os Warlords olhando para nós. Aquela promessa de expansão incrível, com uma lore incrível… não foi. Pelo menos as raids foram extremamente divertidas e eu fiz muito gold com rushes e Guarnição. Já gastei tudo! Mas WoD trouxe algo bom, e agora chegamos na parte importante desde texto. A minha expansão preferida: Legion.

Legion foi incrível! Eu jogava com uma classe nerfada, e ainda assim me divertia. As raids foram memoráveis! Tudo o que eles trouxeram para a identidade de classe, deixava o player se sentir realmente como parte do jogo! Os artefatos icônicos, transmogs extremamente bonitos (até mesmo o remake do Tier 6 estava bem feito), montarias, uma lore que dava gosto de acompanhar. Eu me permito dizer que o único erro de Legion foi o RNG estupido com os lendários. De resto eu só posso dizer: saudades.

 

Tudo o que eles trouxeram para a identidade de classe, deixava o player se sentir realmente como parte do jogo!

 

Foi nesse sentimento incrível de Legion que chegou a pior expansão que eu já joguei na vida. Battle for Azeroth foi a maior decepção. Todos que me conhecem sabem o tanto que eu amo World of Warcraft. Eu defendia tudo nesse jogo. E defendi a expansão atual por um bom tempo. As pessoas me falavam “nossa o jogo está muito chato” e eu besta batia o pé “imagina, tá igualzinho o Legion só que com mais coisa ainda para fazer”. Até que chegou uma hora que eu não conseguia mentir mais para mim mesma. BfA estava ruim, não tinha graça jogar. Me arrastei pela expansão até onde deu, troquei de classe mais de uma vez, mudei de core, só faltou mudar de facção (mas Aliança não dá gente, sorry). 

A sensação que BFA me deu foi que os Devs não escutam a comunidade. Vejo pessoas casuais reclamando de tudo e vejo os “pros” também reclamando… e nenhuma resposta. Até que eu aceitei que não queria mais pagar um jogo que não me divertia.

 

Até que eu aceitei que não queria mais pagar um jogo que não me divertia.

 

Pela primeira vez em 13 anos eu parei de jogar WoW, e agora aguardo com minhas esperanças Shadowlands. 

 

Purah

purah retrato portrait wow warcraft expansão expansao expansoes expansion vanilla the burning crusade tbc wotlk wrath of the lich king cata cataclysm mop mists of pandaria pandaren warlords of draenor wod legion legiao battle for azeroth shadowlands horde horda alliance ally aliançaBom, muitos podem achar barbárie, mas a expansão que mais gostei foi Mists of Pandaria.

Comecei a jogar WoW no início de dezembro de 2012. O patch Trono do Trovão havia acabado de lançar e foi nessa expansão que descobri o mundo de World of Warcraft. Ali fiz muitos amigos e descobri muito sobre o jogo. Apesar da classe que eu jogava na época estar um lixo (Sacerdote Sombra), me diverti muito quando entrei numa raid com o grupo da guilda pela primeira vez. Daí por diante, minha paixão por raidar nunca mais cessou. Os mapas no estilo oriental, as montarias…. Logo em seguida veio o patch da Ilha Perene e por fim Cerco a Orgrimmar. Foi quando eu realmente descobri que o meu lugar no WoW seria realmente no PvE. Joguei muito essa expansão e vivi intensamente as batalhas travadas em Azeroth. Nesse período fiz muitas amizades e muitas delas cultivo até hoje. Para o meu mundo no WoW, essa foi a melhor expansão. 

 

Nesse período fiz muitas amizades e muitas delas cultivo até hoje. Para o meu mundo no WoW, essa foi a melhor expansão. 

 

Já não posso dizer o mesmo de Legion… Sei que muitos irão descordar, mas Legion me fascinou no início, mas depois simplesmente desanimei. Hoje meu personagem principal é um Caçador de Demônios, mas na época, era tanto DH que eu já havia pego ranço dessa classe. Era tudo muito verde, transmogs feios, aquele vai e vem de Dalaran, entra e sai de Salão de Classe… Ataques, missões mundiais, sistema de localizador de grupos diferenciado derrubando os grupos e guildas… Não foi uma boa expansão na minha opinião! A única coisa que eu gostei realmente dessa expansão foram as montarias e alguns mascotes.

Até Warlords of Draenor, que todo mundo reclama, eu joguei com mais gosto do que Legion. Em Draenor vivemos a história de muitos personagens importantes, raids fantásticas, cheias de mecânicas bacanas, enfim…

 

Até Warlords of Draenor, que todo mundo reclama, eu joguei com mais gosto do que Legion.

 

Opiniões são divergentes devido a serem de pessoas diferentes. Cada um tem a sua expansão favorita. Battle for Azeroth é a minha quarta expansão, sendo assim, foram essas as minhas únicas experiências. 



Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

2
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x