Shadows Rising – Capítulo 16

Postado em

No Capítulo 16 uma reunião de extrema importância ocorre em Dazar’alor. Será que, finalmente, a Horda verá os Zandalari novamente entre seus exércitos?

Com a ajuda de alguns fãs do Cartel (obrigado a todos vocês mais uma vez!) nós compramos o novo livro de World of Warcraft. Intitulado Shadows Rising, o livro foi escrito por Madeleine Roux e conta a história entre o final de Battle for Azeroth e o começo da nova expansão, Shadowlands.

O Capítulo 15 nos trouxe uma perigosa revelação: caso Bwonsamdi perdesse seus fiéis e seus santuários, não só ele iria desaparecer; Talanji desapareceria com ele. Isso graças ao pacto que Rastakhan fez com o Loa da Morte durante Battle for Azeroth. O antigo Rei Zandalari, ao fazer o pacto, colocou a vida da então Princesa (e sua filha) atrelada à “vida” de Bwonsamdi. Só existiria uma forma dos dois escaparem desse destino cruel: lutar!

Agora no Capítulo 16, Talanji lidera uma reunião de última hora com todos os membros do Conselho Zanchuli. O Embaixador da Horda, Zekhan, também está presente e, ao lado dele, um outro membro importante da Horda participa da reunião. Será que Zekhan e seu aliado vão conseguir convencer o Conselho e Talanji que o retorno de Zandalari para a Horda seria um benefício para ambos os lados?

Shadows Rising, Capítulo 16 – Dazar’alor

wow world of warcraft shadows rising livro book madeleine roux shadowlands sl tradução traducao translation capitulo chapter 16 sixteen dezesseis dazar'alor zanchuli council conselho horda horde druidesa de guerra druidesa-de-guerra wardruid war druid loti natal'hakata lashk tortolano tortolan rokhan lançanegra lança negra darkspear zekhan bwonsamdi talanji queen rainha

Zekhan estava impaciente para por fim falar; o Conselho Zanchuli tinha chamado ele para participar de uma reunião emergencial para tratar da crescente ameaça da Mordida da Viúva. Ele nunca tinha se apresentado perante um público tão vasto e importante de estranhos antes; e a pressão era imensa!

No entanto ele sentiu que resposta para isso estar acontecendo era simples: Talanji precisava da ajuda da Horda, a Horda queria dar essa ajuda e ela apenas tinha que ser convencida que suas vinganças pessoais significavam menos que a segurança e proteção de Zuldazar. No entanto, a probabilidade de convencê-la disso diminuía aos poucos, à medida que os restantes membros do Conselho a ouviam discursar.

“A Mordida da Viúva quer fazer com que nós acreditemos que eles estão em todo o lugar e em lugar nenhum simultaneamente – mas isso não é verdade”, discursava a Rainha, “eles cometeram um erro. Agora nós sabemos o que eles querem: eles querem enfraquecer Bwonsamdi pois eles acreditam que isso irá me enfraquecer.”

Os membros tiravam notas, rabiscando suas tabuletas freneticamente enquanto Talanji prosseguia com seu discurso. “Eles continuarão atacando os locais de poder de Bwonsamdi. Seus santuários, obviamente, mas mais importante, a Necrópole. O local não pode cair, mas sabendo que os rebeldes irão atacar, nós poderemos colocar um fim nisto agora. Nós protegeremos os santuários, protegeremos a Necrópole; assim, a Mordida da Viúva irá se ver obrigada a entrar em conflito aberto.”

Zekhan começou a aplaudir o discurso, comovido, até se aperceber que ele era o único que estava aplaudindo. Além disso, ele não estava lá para apoiar seu plano; ele precisava que ela se aliasse com a Horda, pois esse era o principal motivo de Thrall tê-lo enviado para lá.

 

“O Chefe da Tribo Lançanegra havia chegado algumas horas antes do amanhecer.” – Capítulo 16 

Rokhan estava preocupado com o que Zekhan tinha reportado em suas mensagens. Uma tempestade brutal assolava a costa, fazendo com que os mares ficassem intransponíveis e a viagem tivesse que ser feita pelo ar – até isso era perigoso. Uma das máquinas voadoras de Gasganete havia deixado o Troll no porto em segurança, segundos antes de um raio atingir a máquina, fazendo com que ela se despenhasse na costa. Zekhan havia dado as boas vindas a ele com alívio, sabendo que agora ele teria um apoio na cidade não apenas de um membro do Conselho da Horda, mas também de um amigo próximo.

“Eu concordo com suas diretrizes, Rainha Talanji”, disse Rokhan, “mas o melhor a fazer é mandar as tropas para o local imediatamente. O sentimento dentro da cidade não é bom, sua majestade; os ataques estão fazendo com que você pareça fraca e incompetente.” A Druidesa-de-Guerra Loti se levantou e concordou.

“A ameaça rebelde termina hoje!”

“Então vamos reunir uma força”, disse Natal’hakata, “a Necrópole é vasta, com diversos túneis onde as aranhas poderão se esconder; vamos precisar de muitos recursos para proteger o local.” Era hora de intervir. Zekhan só poderia falar após a manifestação de Zolani, mas aquele era o momento ideal, antes que todo o entusiasmo e confiança se tornassem tão poderosos que abafariam a sua voz. Não só ele tinha um dever para com a Horda, representando os seus interesses; mas o próprio Loa da Morte tinha pedido para ele mudar o pensamento da Rainha.

Sem pressão ou nada parecido agora. Que os ancestrais me protejam”, pensou o jovem Troll.

“Com sua permissão?” – Zekhan, Capítulo 16

Zekhan jurou ouvir um bater de asa de um papagaio a seis quilômetros dali, graças ao silêncio abrupto que se formou. Ele saiu de trás do pilar e ficou sob a sombra e Talanji, que tinha seus braços cruzados à espera da fala do Troll.

“Ah, Zekhan, venha aqui para a frente, rapaz! O que você tem a dizer?”, perguntou Rokhan, fazendo sinal com o dedo para ele se aproximar. “Vamos ouvir o que o Embaixador da Horda tem a dizer.”

“Nós temos tempo para isto?” indagou Natal’hakata.

“Eu posso ser breve”, Zekhan acelerou seus passos até ao centro do salão; aquilo o fazia lembra do Castelo Grommash. Quantas decisões foram tomadas naquele local? Quantas execuções decididas? E quantas guerras declaradas? Apenas um jovem da selva das costas das Ilhas Eco discursando numa reunião. Varok Saurfang fez com que ele olhasse para a guerra com um olhar diferente; um horror certo que poderia ser prevenido. Zekhan tinha ciência que o que ele iria dizer poderia salvar a vida de muitos Zandalari e, além disso, salvar a vida da Horda; caso Talanji juntasse suas forças com as facção.

“Fale rapaz”, ordenou Natal’hakata impaciente.

“Não envie seus soldados para a Necrópole”, um péssimo começo, “a Rainha está certa. Bwonsamdi precisa ser protegido, assim como todo o povo Zandalari. Mas vocês não poderão fazer isso sozinhos.”

“Este é um problema dos Zandalari. Eu não sou irracional, eu posso fazer algumas concessões. A Horda poderá enviar suas tropas, mas quando e se eles concordarem que eu use essas mesmas tropas contra os Proudmoore.”

wow world of warcraft shadows rising livro book madeleine roux shadowlands sl tradução traducao translation capitulo chapter 16 sixteen dezesseis dazar'alor zanchuli council conselho horda horde druidesa de guerra druidesa-de-guerra wardruid war druid loti natal'hakata lashk tortolano tortolan rokhan lançanegra lança negra darkspear zekhan bwonsamdi talanji queen rainha

 

“Não, não, não, eles nunca iriam concordar com isso.” – Zekhan, Capítulo 16

Zekhan retrucou imediatamente, “e depois? Seu povo pensa que você é fraca agora, imagina quando eles notarem que você não consegue proteger seus santuários e templos contra os rebeldes?” Murmúrios eram ouvidos – interesse do Conselho. Ao sentir isso, Zekhan continuou: “Você terá uma chance para escrever o final desta história. Até agora, seu povo só testemunhou derrota, você irá fazer com que eles presenciem outra? Por quê correr esse risco? A Horda está disposta a ajudar vocês. Com a ajuda deles, com a força deles, nós podemos escrever esse desfecho; um desfecho vitorioso, agora mesmo!” Talanji parecia pronta para atropelá-lo, mas ela manteve sua compostura.

“Isso é propaganda!”

“O rapaz tem razão”, declarou Rokhan enquanto coçava seu queixo, “a única propaganda que eu tenho visto é a que a Mordida da Viúva vem espalhando contra nós, minha Rainha. Essa maré está mudando e sem uma vitória decisiva, os rebeldes poderão fazer com que a população se vire contra você.”

“Se a autoridade da Rainha estiver realmente ameaçada”, disse o Tortolano Lashk, “trazer novamente as forças da Horda para cá seria um erro. Eu não quero insultar você, Rokhan, mas e se os seus generais virem uma oportunidade para invadir?”

“Lashk tem razão”, declarou Talanji, “já existem rumores similares a esses na cidade. Se a Horda retornar, nós temos que ter algumas promessas; justiça para a nossa cidade, vingança contra o cerco da Aliança.”

“Estes rumores…”, enquanto Rokhan discursava, ele se levantou, olhando primeiro para Talanji e posteriormente para Zekhan, “eu não tenho dúvidas em relação aos rebeldes. Eles são muito rápidos, muito espertos. Talvez um Loa esteja ajudando eles; ou talvez outra coisa.”

 

“Como o quê?” – Zekhan, Capítulo 16

“Eu ainda não sei, rapaz. Mas eu tenho intenções de descobrir”. Ele caminhou por entre Talanji e Zekhan, separando-os, e começou a se dirigir para a saída da câmara do Conselho; no seu cinto era possível ver sua adaga vermelha que pulsava magia. “Você não terá a minha ajuda até nós termos mais informações, Rainha Talanji. O rapaz aqui está certo: nós só temos uma chance.”

Talanji correu atrás de Rokhan, discussões surgiram de todos os cantos da câmara; tudo e todos estavam em tumulto. Zekhan tentou adentrar em algumas conversas mas quando deu por si, a câmara estava vazia. Coçando a cabeça, ele tentou entender o que tinha acabado de acontecer. Ele tinha persuadido alguns membros do Conselho, porém Talanji parecia impossível de ser convencida. E ele ainda pensava que ela estava mais simpática em relação à Horda… O que seria necessário? O que seria necessário para fazer ela entender que ela não precisaria enfrentar aquilo sozinha?

“Obrigado por ouvir… eu acho”, desabafou Zekhan. 

“Ah rapaz, eles ouviram… Eles ouviram você. E você foi bom!”. Aquelas palavras o sufocaram como se fosse uma prensa; só depois é que ele conseguiu respirar novamente. Bwonsamdi! O Loa visitou-o, sua presença um tanto quanto mais fraca.

“Não teve muito efeito”, respondeu Zekhan, sentando nos limites da plataforma onde as cadeiras do Conselho ficavam, “Talanji não confia em mim, ela não irá confiar na Horda e nós estamos ficando sem tempo.” Bownsamdi flutuou ao encontro do Troll, sentando à sua direita, sua presença conjurou uma sombra que encobria tudo.

 

“Você é novo nisto.” – Bwonsamdi, Capítulo 16

“Não seja tão duro com você mesmo, rapaz. Alguns membros do Conselho têm ouvido você e isso não é um feito que deva ser menosprezado. Eles pressentem algo poderoso em você, eles vêem o que eu vejo.” Com aquilo, Zekhan se ergueu. Um Loa, um Deus achava que ele estava fazendo um bom trabalho? Que ele era poderoso? Não parecia ser algo real. O que ele havia feito para se deparar na presença de pessoas tão influentes? Talvez Bwonsamdi estava certo; talvez ele era realmente poderoso.

Ancestrais você nunca me abandonam – pensou, em agradecimento, o jovem Troll.

“E o que eles vêem, além de um fracasso?”

“Alguém que eles querem ao seu lado.”

“Você tem razão”, disse Zekhan ficando cada vez mais erguido, ajeitando as cores da Horda presentes nas suas ombreiras, “se o Conselho realmente me ouviu, e se eles podem me ouvir, então a Rainha também pode. Eu não posso desistir!” Ele sentiu o Loa percorrer a câmara em direção à sacada ao lado dele. Os fogos já tinham sido extintos, mas a fumaça ainda estava presente, como se fossem pilares que alertavam para algo perigoso.

“Não desista, rapaz”, disse o Loa com uma tentativa de sorriso, apesar de na sua voz conter um tom de tristeza – e aquilo só fortaleceu mais ainda Zekhan. O Loa precisava de proteção e Zekhan iria fazer com que isso acontecesse.

Não desista” – essas palavras ecoaram à medida que o Loa desaparecia. “Esse é o espírito!”.

wow world of warcraft shadows rising livro book madeleine roux shadowlands sl tradução traducao translation capitulo chapter 16 sixteen dezesseis dazar'alor zanchuli council conselho horda horde druidesa de guerra druidesa-de-guerra wardruid war druid loti natal'hakata lashk tortolano tortolan rokhan lançanegra lança negra darkspear zekhan bwonsamdi talanji queen rainha
Imagem original por: 1em3_art

 

World of Warcraft Shadowlands

World of Warcraft Shadowlands é a oitava expansão do maior MMORPG de todos os tempos. De acordo com a Blizzard, ela chega no dia 26 de outubro de 2020, às 20h. Shadowlands conta então a história pós-eventos de Battle for Azeroth. Com o propósito de acabar com o domínio sobre o Flagelo, Sylvanas destrói o Elmo da Dominação do Lich Rei Bolvar Fordragon, liberando o Flagelo e rompendo o véu que liga o mundo dos vivos para o mundo dos mortos.

Reinos ocultos de maravilhas e horrores aguardam quem chegar ao outro lado. As Terras Sombrias são o lar de todos os que já se foram, um reino entre mundos cujo tênue equilíbrio preserva a vida e a morte.

É neste cenário que os Heróis de Azeroth precisam tentar evitar que a máquina da Morte seja quebrada e acabe com o Mundo como conhecemos. Você pode saber tudo sobre a expansão em nossa hub.



Subscribe
Notify of
guest
6 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
LEONARDO OKAMI
LEONARDO OKAMI
31 de agosto de 2020 11:38

Será que vai dar tempo de terminar o livro antes do pré patch?

Xalasca
Admin
Reply to  LEONARDO OKAMI
31 de agosto de 2020 13:07

Vai sim, estamos bem na metade!

Guilherme B
Guilherme B
Reply to  LEONARDO OKAMI
26 de setembro de 2020 04:03

Pelo jeito não, o pré patch deve sair logo em seguida e aqui parou na metade do livro.

Xalasca
Admin
Reply to  Guilherme B
26 de setembro de 2020 14:19

Infelizmente nosso tradutor está com problemas pessoas e avisamos no facebok.

qdqd
qdqd
8 de setembro de 2020 01:09

pararam com o projeto? Era muito legal

Xalasca
Admin
Reply to  qdqd
8 de setembro de 2020 10:28

Nosso tradutor tá com umas demandas tensas do trabalho, mas logo deve voltar a traduzir


2
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x